Busca      Seleção de Idioma 
     


Evangelização
 
75000 peregrinos já visitaram no Magdala Center a sinagoga e a praia onde Jesus pregou
 

Desde
Pe. Juan Solana apresenta o projeto de Magdala Center
Pe. Juan Solana apresenta o projeto de Magdala Center
sua
O terreno do Magdala Center visto do monte Arbel
O terreno do Magdala Center visto do monte Arbel
inauguração
Papa Francisco abençoa o sacrário da capela
Papa Francisco abençoa o sacrário da capela
em 28
O altar da igreja "Duc in altum"
O altar da igreja "Duc in altum"
de
Inauguração do Magdala Center
Inauguração do Magdala Center
maio
de 2014, mais de 75000 pessoas já visitaram as instalações do Magdala Center, junto ao lago de Tiberíades, em Israel. O complexo, localizado no lugar onde nasceu Maria Madalena contém um descobrimento arqueológico excepcional: uma sinagoga do século primeiro da nossa era, na qual existe grande probabilidade que Jesus tenha predicado.

O Pe. Juan Solana, diretor do Magdala Center, sacerdote mexicano também encarregado pela Santa Sé do Pontifício Instituto Notre Dame de Jerusalém, ofereceu estes e outros dados durante um evento celebrado no auditório dos Padres Carmelitas da rua Ayala, em Madri. A conferência foi convocada pela Fundação Terra Santa sob o título O Projeto Magdala Center: a presença cristã na Terra Santa, hoje.

Ao apresentar-se o palestrante destacou que todos os esforços da fundação se concentram no manter viva a presença cristã na Terra Santa: “Se não fosse assim, as futuras gerações não teriam o privilégio de desfrutar do que é hoje “o lugar mais visitado da terra.”

Uma emoção especial

O Pe. Juan Solana fez um relato muito pessoal das origens do Magdala Center: “Cheguei a Jerusalém com uma missão dupla de João Paulo II: Que Notre Dame pudesse continuar e ajudar os cristãos da Terra Santa. Chegava ao fim a segunda intifada. Calcula-se que 40% dos cristãos da Terra Santa abandonaram-na entre 2000 e 2005. 


Solana, que estava em Nova Iorque no 11 de setembro de 2001 e viu cair as Torres Gêmeas,  onde tinha um encontro marcado horas antes do atentado, e ao qual não compareceu por uma mudança repentina de compromisso, transferiu-se para Jerusalém dias antes do falecimento do papa João Paulo II. Ao visitar o Mar de Galileia, minúscula região do mundo onde teve lugar quase toda a vida pública de Jesus, fez a seguinte comparação: “ O Céu tem que ser como aquela primeira noite que passei junto ao Lago de Tiberíades. Neste momento comecei a sonhar com o projeto de Magdala”, que incluiria uma barca verdadeira como a de dois mil anos atrás, da qual se predicaria aos peregrinos.

Avisado sobre um terreno que estava à venda perto de um hotel semiabandonado chamado Hawai Beach, o  Pe. Solana demonstrou interesse na aquisição. Eram 8 hectares nas margens do lago, numa preciosa baía, no lugar onde nasceu Maria Madalena. Depois de trâmites administrativos e projetos  arquitetônicos, no dia 11 de maio de 2009, durante a peregrinação de Bento XVI à Terra Santa,  o mesmo papa abençoou a  primeira pedra do Magdala Center. No dia 26 de maio de 2014, em Jerusalém, o papa Francisco abençoou o sacrário que hoje está no altar em forma de barca que marca de forma especial a igreja “Duc in Altum” (Rema mar adentro) do complexo de Magdala Center.   

O descobrimento surpreendente

Logo ao iniciarem-se as obras se deu o grande achado arqueológico do lugar: um mosaico que formava parte do que é hoje um de seus grandes atrativos, uma sinagoga do século I. “Das sete sinagogas mais antigas do mundo, esta é a que está melhor conservada. Descobriu-se um altar que é como uma maquete do Templo de Jerusalém, o único modelo físico que se conhece. Nunca se encontrou em Israel uma pedra como esta”, disse o Pe. Solana. 

Na sinagoga se encontraram umas três mil moedas, uma delas contém a inscrição Herodes Tetrarca, acunhadas no ano de 29 d.C., uma prova irrefutável, da antiguidade da sinagoga.

Para os cristãos este descobrimento tem um significado especial: “Jesus percorria a Galileia pregando nas sinagogas (cfr. Mt 4, 23) , dizem os Evangelhos”, lembrou o Pe. Solana, “o que significa que também passou pelo que hoje são estas ruínas.”

A Pompeia de Israel

Os descobrimentos arqueológicos têm uma peculiaridade: diferentemente de outros enclaves, onde há restos superpostos, de antiguidade diversa, em Magdala “tudo é do século I”. Este fato desconcertante se deve, segundo os arqueólogos e geólogos, e conforme às camadas e composição do terreno, a que o lugar sofreu um aluvião, com chuvas torrenciais que sepultaram tudo. “Um caso excepcional” sublinhou Solana. De forma que Magdala é conhecida como a “Pompeia de Israel”


Milhares de peregrinos e voluntários

O Pe. Solana apresentou também aos participantes a igreja “Duc in Altum”, com dois notáveis elementos arquitetônicos: o altar, em forma de barco em tamanho natural, respeitando um modelo da época de Jesus, colocado diante de uma janela ampla que permite ver o lago Tiberíades; e o átrio das mulheres, formado por oito colunas das quais sete levam o nome das mulheres que seguiram Jesus, e a oitava está dedicada “a todas as mulheres, que são grandes transmissoras da fé.”

 
Pelo Magdala Center já  passaram 75000 peregrinos desde a sua fundação, dos  quais trinta por cento são judeus que  apoiam financeiramente a obra. Também se contabilizaram  mil e duzentos voluntários   para  trabalhos de escavação e atenção aos  peregrinos, comentou Solana.


Desde sua inauguração em 28 de maio de 2014, mais de 75000 pessoas já visitaram as instalações do Magdala Center, junto ao lago de Tiberíades, em Israel. O complexo, localizado no lugar onde nasceu Maria Madalena contém um descobrimento arqueológico excepcional: uma sinagoga do século primeiro da nossa era, na qual existe grande probabilidade que Jesus tenha predicado.

O Pe. Juan Solana, diretor do Magdala Center, sacerdote mexicano também encarregado pela Santa Sé do Pontifício Instituto Notre Dame de Jerusalém, ofereceu estes e outros dados durante um evento celebrado no auditório dos Padres Carmelitas da rua Ayala, em Madri. A conferência foi convocada pela Fundação Terra Santa sob o título O Projeto Magdala Center: a presença cristã na Terra Santa, hoje.

Ao apresentar-se o palestrante destacou que todos os esforços da fundação se concentram no manter viva a presença cristã na Terra Santa: “Se não fosse assim, as futuras gerações não teriam o privilégio de desfrutar do que é hoje “o lugar mais visitado da terra.”


A segunda fase do projeto será a construção de uma Casa de Peregrinos com  cento e setenta quartos e salas de reuniões para os distintos programas espirituais para jovens, casais, padres, etc. 
O governo de Israel financia 20% da obra pelo seu grande interesse turístico, e se espera que esteja pronto para ser inaugurada em dois ou três anos.


A fundação Terra Santa tem apoiado o Magdala Center através de iniciativas de atenção e solidariedade com os mais necessitados, criação de empregos e fomento das peregrinações. 


         



 
Links
Internacional | Evangelização |
 
Notícias
| Evangelização | Notícias
A autêntica missão, a grande missão, não fez mais do que começar, porque é em nosso ambiente, é onde realmente devemos lutar para dar exemplo de sua Palavra.
 
A Renata brinca com uma criança durante as missões.
Testemunhos
Brasil | Evangelização |
Começamos a partir deste mês, com a graça de Deus, um compromisso especial de compartilhar testemunhos de membros do Movimento.
 
 
 
 


Sigam-nos em:   
Patrocinada pela congregação dos Legionarios de Cristo e pelo movimento Regnum Christi , Copyright 2011, Legión de Cristo. Todos os direitos reservados.

¿Deseas agregar a tus favoritos?
  -    No