Mairon Gavlik

Nós conhecemos e cremos no amor (I Jo 4,16)

Sou o Pe. Mairon Wesley Gavlik Mendes da família religiosa dos Legionários de Cristo. Nasci em 1985 em Laranjeiras do Sul, no seio de uma família católica…

tenho um irmão mais novo e muitos primos e maravilhosos. Como poucos, sou uma pessoa VIP; Vim do Interior do Paraná, uma região muito rica, com muita qualidade humana, pessoas de bom coração e grandes ideais.

Tive uma infância feliz; vida familiar, esportes, muitos amigos e sentido aventureiro. Desde pequeno participei do grupo escoteiro. Ali cultivei grandes amizades, aprendi a enfrentar as dificuldades que a vida nos traz, não somente para sobreviver, mas principalmente para ver nelas oportunidades de crescimento pessoal; aprendi também que cada dia, apesar de todos seus desafios, sempre se pode viver buscando fazer o bem, colocando Deus, o bem do próximo como prioridade. Percebi que tinha recebido muito de Deus e que existiam pessoas muito mais necessitadas de mim, as quais eu podia ajudar com alguma boa ação fazendo algo melhor a vida delas.

Desde pequeno, tive a oportunidade de conhecer bons sacerdotes, homens de Deus ao serviço dos próprios irmãos. Impressionava de modo especial aqueles missionários que deixavam a própria terra para levar o amor de Deus aonde faltavam sacerdotes. E não precisava ir muito longe; eu conhecia vários lugares onde, por falta de sacerdotes, não se tinha missa. E me dizia: “se eu fosse sacerdote, poderia ajudar essas pessoas”. Um bom dia, conheci um padre missionário que me impressionou pelo seu modo ser; era um Legionário de Cristo que acompanhava aqueles jovens que estavam pensando entrar no seminário. Quando fiquei sabendo disto, perguntei se eu também poderia fazer uma experiência vocacional para ver se aquilo era para mim. Tive que esperar, pois era muito jovem. O tempo foi passando, a juventude trouxe outros interesses; contudo, sabia que algum momento da minha vida, deveria ir fazer uma experiência vocacional no seminário daquele padre para ter certeza do que Deus tinha pensado para mim, do que eu queria fazer com minha vida.

Surgiu a oportunidade e decidi passar um mês com os legionários; ninguém me acreditava! “Ele não vai ficar nenhum mês lá…”. Era um jovem que gostava mais de esportes, passear, sair com os amigos, fazer festa; externamente, meu perfil não era muito de oração. Ademais, estava a quase 400 km da minha casa, o que implicaria ficar longe dos pais; não parecia ter muito futuro. Mas eu queria fazer aquela experiência. Foi muito boa. Experimentei a presença muito próxima de Deus e de nossa Senhora, quem desde pequeno sempre me cuidou; também me senti em casa, numa nova família. Ali, meu coração foi percebendo que Deus tinha algo para mim, uma missão que compartilhar e que se eu quisesse verdadeiramente descobrir qual era o plano que Deus tinha pensado para mim, deveria estar mais perto dele na oração, pois era na oração onde podia escutá-lo melhor. Esta experiência se transformou em anos onde pude perceber que Deus me convidava ajudar-lhe na salvação das almas, para que o maior número de pessoas pudesse conhecer o amor que Ele nos tem, em ajudar verdadeiramente as pessoas em todos os aspectos da sua vida, especialmente em descobrir o sentido do próprio existir: criados por amor e para amar.

A vida sempre nos oferece muitas oportunidades; e várias são muito boas: uma boa profissão, fazer uma carreira, construir uma família bonita, construir uma vida serena. Para mim não foi diferente. Porém sempre estive convencido que são poucas as coisas que verdadeiramente são importantes, que na realidade uma só é necessária: viver com Deus aquela aventura que ele pensou para nós antes mesmo que nascêssemos; descobrir este plano é o caminho de felicidade para cada homem, para que cada homem possa ser feliz e fazer realmente feliz aqueles que estão ao seu entorno. Ao longo da minha formação pude conhecer e acompanhar muitas pessoas, levar uma mão amiga, uma palavra de consolo, a minha simples presença quando era melhor calar ou quando não tinha palavras; lembro-me de alguns dos seus sofrimentos, mas principalmente de rostos tristes que de repente desabrochavam num sorriso, num olhar de esperança ao perceber a presença de Deus nas suas vidas. Neste tempo, pude perceber o dom que Deus tinha posto no meu coração, aquilo que eu mais queria, pois queria ser todo dele, ser seu consagrado para amá-lo no serviço dos meus irmãos, ser ministro do seu amor, uma ponte entre Ele e os homens…. Uma das coisas que mais me impressiona de Deus, é que Ele nos convida, mas sempre nos deixa livres para aceitar ou não o seu plano maravilhoso. Deus nos trata como filhos porque Ele nos ama como Pai de modo gratuito, desinteressado e misericordioso. Somente quem experimenta seu amor paterno pode ser instrumento seu amor.

A Legião de Cristo foi a segunda família que Deus pensou para mim; ali pude conhecê-lo mais, experimentar seu amor, viver a realidade da Igreja que é um corpo feito de muitos membros, mas alimentados pelo mesmo espírito vital e guiados pela mesma cabeça que é Cristo. Sobretudo, sempre me identifiquei com o carisma do Regnum Christi, que é viver como apóstolos formando outros apóstolos, buscar os melhores meios para conhecer o amor que Cristo nos tem e, como testemunha do seu amor, buscar que o maior número de pessoas o conheçam e o amem para que Ele reine no coração de cada pessoa e de toda a sociedade. Isto é o único que pode mudar verdadeiramente o mundo!

Hemos conocido y creído en el amor (I Jo 4,16).

Soy el P. Mairon Wesley Gavlik Mendes, LC. He nacido en Laranjeiras do Sul, Brasil el 26 septiembre de 1985 en una familia católica.

Tengo un hermano cinco años menor; él ha estudiado psicología. He tenido una infancia y adolescencia normal: mucho deporte, muchos grupos de amigos. He sido scout desde chiquito y desde allí me han invitado a ser monaguillo. He tenido buen contacto con los sacerdotes de mi ciudad, misioneros de. S. Francisco Xavier, especialmente el capellán de mi grupo scout y mi párroco. Me gustaba la vida que llevaban siendo ministros de Dios a servicio de los hombres, especialmente en los sacramentos y en la predicación. Mi región parroquial es muy grande y no hay tantos sacerdotes. Así que había muchas comunidades que conocía que no tenían misa todos los domingos, por lo cual los fieles tenían solamente una celebración de la Palabra, pero no santa misa. Eso me ha cuestionado desde chico suscitando en mí el deseo de poder llevar Cristo a los demás en los sacramentos y en el servicio ordinario, de ser un misionero en las regiones donde los sacerdotes más hicieran falta.

Me considero una persona muy bendecida por Dios. He recibido el don del bautismo menos de un mes de nacido y he tenido un gran ejemplo de fe de mis familiares, especialmente de mis abuelos; siempre me han enseñado el amor que Dios y la Virgen María han tenido por mí. Me recuerdo cuando tenía 9 años; hemos ido de peregrinación al Santuario de la Virgen Aparecida, un viaje de casi unos tres mil quilómetros de ida y regreso. Llegando allá, todos estaban rezando con alegría y lágrimas. He preguntado qué pasaba y me han contado que cuando era muy niño, con poco más de un año de edad, casi he muerto por una grave enfermedad; un mes en el hospital entre la vida y la muerte. Entonces hicieran una promesa a la Virgen y poco a poco me he recuperado. Hasta los seis años, tenía que viajar todos los meses para hacer chequeos. Desde antes que hubiera nacido, he sido consagrado a la Virgen, al año otra vez; María ha estado siempre presente en mi vida y ha sido una madre que siempre me ha acompañado. Ha sido ella quien me condujo a Cristo.

Al empezar mi adolescencia, he conocido un sacerdote misionero de los Legionarios de Cristo; mi primo estaba en el seminario de ellos. Me ha impresionado y les he preguntado si yo también podía hacer una experiencia vocacional con ellos para ver si era mi camino, pues quería ser misionero. Tuve que esperar. Con la espera, el deseo se ha enfriado, pero no se había ido. Cuando tenía la edad para ingresar al seminario menor, he decidido hacer la experiencia por un mes. Nadie me creía. Era más bien un joven que le gustaba las diversiones y no era tanto de rezar. Así empezó la experiencia en el seminario de los LC a 400 km de mi ciudad. Allí me he dado cuenta que Dios tenía algo para mí, una misión para ayudarle en la salvación de las almas. No lo tenía todo claro, pero en mi corazón sentía que Dios me quería allí dedicándome del todo a él y a que todas las personas lo conocieran y le amaran. Después de un par de años, al concluir el bachillerato, he pedido ingresar al noviciado de los LC para concluir mi discernimiento, para ver si Dios verdaderamente me quería su sacerdote o más bien que siguiera como un laico comprometido con su fe. Las alegrías y las dificultades no faltaran; esos han sido los dos caminos que me han conducido siempre más a Cristo y que me hicieron percibir la presencia cercana de Dios y de la Virgen María. Él me invitaba a colaborar con él en la LC, era lo que más quería, pero dependía de mí. A lo largo de mi formación, las oportunidades de una vida más tranquila, más cercana de los míos, de una vida más para mí… siempre han estado. Siempre me he maravillado de cómo Dios respeta nuestra libertad hasta las últimas consecuencias y de cómo nunca deja faltar su gracia. A lo largo de los años de formación –noviciado en Brasil, humanidades clásicas en España, filosofía en Italia, trabajo pastoral en Brasil, licencia en Roma, pastoral en Alemania y Austria, teología en Italia – he podido percibir con creciente claridad el don que Dios había depositado en mi corazón, el de ser su consagrado, su mediador con los hombres, de participar de su misma paternidad, ser su legionario. Lo que más me atrajo de la Legión ha sido su espíritu de familia, su vivo cristocentrismo y su dinamismo, su garra apostólica: dejarse tocar por el amor de Cristo cada día más y buscar compartir ese amor al mayor número de personas posible colaborando con él en la extensión de su Reino de amor.

gavlik-maironSoy el P. Mairon Wesley Gavlik Mendes, LC. He nacido en Laranjeiras do Sul, Brasil el 26 septiembre de 1985 en una familia católica. Tengo un hermano cinco años menor; él ha estudiado psicología. He tenido una infancia y adolescencia normal: mucho deporte, muchos grupos de amigos.

PT Sou o Pe. Mairon Wesley Gavlik Mendes da família religiosa dos Legionários de Cristo. Nasci em 1985 em Laranjeiras do Sul, no seio de uma família católica; tenho um irmão mais novo e muitos primos e maravilhosos.